Páginas

2 de fevereiro de 2011

Fazer o Que se Gosta



Quando estava na faculdade, naquela crise... “acho que escolhi o curso errado”... “preciso trancar a facul”... “onde estava com a cabeça quando fiz vestibular?”
Um grande amigo meu deixou na minha portaria um envelope.... no envelope tinha um chocolate e este recorte de revista... o chocolate foi-se na mesma hora! hehehe... já o recorte, guardo até hoje! Seis anos depois e volte e meia lembro deste artigo! Ele foi retirado da Revista Veja e escrito por Stephen Kanitz, em 24 de novembro de 2004. Eu super recomendo a leitura!
Muitas vezes vejo que não gosto de fazer alguma coisa porque na verdade não sei fazer direito. Quando tive que morar longe da minha mãe, e me vi na cozinha pela primeira vez, foi o maior sufoco. Não sabia nem descascar uma cebola... e já de cara, na hora de dar aquela douradinha nela, queimei tudo!Pensei..."cozinhar não é comigo!", mas na hora da fome, não tinha escapatória... e lá ia eu encarar a cozinha, tive que "fazer algo que não gostava"... bom... hoje cozinhar virou um passatempo divertido!
Nas férias de verão, numa das vezes que fui ao Japão e aproveitei pra juntar um din din, foi uma tristeza só... além do meu chefe falar “só vou te contratar porque não tem mais ninguém”, ainda tinha que provar pra todo mundo que eu já tinha condições de aguentar o ritmo de uma fábrica. Na época com 18 anos, e cara de 12 (até hoje! hahaha...), tive que me esforçar ao máximo para mostrar que eu podia dar conta do serviço. Não foi fácil... o trabalho era super chato, definitivamente "fazer algo que eu não gostava"... era tipo aqueles filmes do Charlie Chaplin... fazendo o mesmo movimento o dia todo. Num final de semana minha tia foi nos visitar e dormiu no meu quarto... ela se assustou, pois até de noite eu dormia fazendo os movimentos de montagem de peças! haha... bom... o trabalho 24 horas sem parar valeu a pena! Na hora de voltar pro Brasil meu chefe insistiu pra eu ficar e na despedida ganhei um bonus de 500 dolares! Nada mal hein?! Mas o melhor foi aquela sensação de dever cumprido!
Assim como diz o artigo, o importante não é fazer o que se gosta, e sim fazer o que tem que ser feito da melhor maneira possível!
Ahhh... e claro... pensar nisso me ajudou a sair da crise e terminar a faculdade! =)

4 comentários:

  1. Yuka!
    Parabéns pelo seu blog!
    Gostei mto dos posts e fiquei impressionada com suas habilidades!
    Garota super prendada!
    Gostei tb do texto que me fez refletir btt!
    Espero que você continue criando caminhos para curtir a vida e o trabalho com criatividade!

    ResponderExcluir
  2. Oi Anônimo!
    Muito obrigada pelo apoio!
    Fiquei feliz com seu comentário!
    Bjinhos!!

    ResponderExcluir
  3. Muito legal, se tivesse um botaozinho igual do facebook "curtir" eu apertava!!!

    ResponderExcluir
  4. Oi Xhyku!!
    Q bom q curtiu!! heheh =D

    ResponderExcluir